PEDRAS QUE VIVEM


PEDRAS QUE VIVEM


Mateus 16.18

( Pedras que vivem.)

‘’ Tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha.

Estas palavras nas escrituras sagradas tem produzido dolorosas diferenças e divisões entre os cristãos (Cristianismo). Homens tem lutado e contendido em torno da sua significação ao ponto de perderem de vista todo amor cristão. O que devemos entender quando lemos essa admirável afirmativa de Jesus: Tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha igreja. Será que Pedro em pessoa seria o fundamento da igreja que Cristo esta por edificar?
Em toda a história do povo de Deus as pedras sempre foram figuras presentes em muitos contextos, como por exemplo podemos citar as duas tábuas de pedra dos dez mandamentos Deut. 5.22, as pedras usadas por Davi para matar Golias I Sam. 17.40, a pedra ferida por Moisés no deserto Sal. 78.16, as pedras mencionadas acima foram usadas para uma boa causa, mas, muitas vezes nas escrituras observamos pedras que foram usadas para a destruição de pessoas, como no caso de Estevão que foi apedrejado por não negar a sã doutrina, Atos 7. 54. como observamos as pedras podem ser usadas para a construção ou para destruição. O próprio apóstolo Pedro, que ora fora chamado de pedra fundamental da igreja(segundo interpretação da igreja romana), foi também chamado de pedra de tropeço por Jesus, quando tentou incentivar ao próprio Jesus para não voltar para Jerusalém para cumprir o martírio da cruz Mateus 16.25. percebemos então que a igreja de Cristo é um organismo vivo, constituída por pessoas regeneradas, biblicamente batizadas e comprometidos com a sã doutrina. Somos pedras que vivem por que fomos edificados por Cristo. I Ped. 2.4-5. cada um nós com as nossas características, dons e talentos servimos a Deus através de nossa vida e atuação no serviço cristão. Jesus entregou o evangelho a um grupo seleto de pessoas, para ensinar a igreja. A casa de Deus cresce através da inclusão e integração contínua de pessoas como “pedras vivas”(I Ped. 2.5), todos nós fazemos parte deste grupo chamado por Deus para a constituição da igreja de Cristo, e não apenas Pedro. (Ef. 2.20.).
Somos “pedras que vivem “ por que as portas do inferno não prevalecerão contra ela. Como pastores devemos ter cuidado com aquilo que entra em nossa vida (Existência), em nossa família e em nossa igreja, devemos ter cuidado com as portas de entrada de informações, metodologias e modismos existentes neste período pós moderno, devemos estar atentos a tecnologia e prontos a investir em tudo que for puro, agradável e edificante para a igreja, mas, devemos ter cuidado para não abrir-mos as janelas e portas de nossas igrejas e estar-mos abertos a modernidade e correr-mos o risco de junto com a modernidade entrar também a poluição e heresia.
A igreja de Cristo deve fortalecer suas estruturas de defesa II Cron. 26:9. No antigo testamento existiam muros em volta das cidades, todas as negociações deveriam passar pelas portas da cidade e nestas portas grandes decisões eram tomadas, eram definidos o que podiam ou não entrar na cidade, em alguns casos até prisões eram realizadas às portas da cidade.
Jesus nos convida a confiarmos nele, a termos um compromisso com ele, a igreja é dele e não nossa, jamais devemos pensar na igreja como nossa igreja e sim a igreja de cristo.
Nós não temos como edificá-la, Jesus disse: Eu edificarei a minha igreja.

Pr. Edemilson Rodrigues Melo. 26 de Agosto 2009.