Sou um Cidadão Indignado





Escrevi esta carta nos tempos que muita corrupção estava aparecendo, e hoje, parece, que a coisa continua da mesma forma.

À Senadora Heloisa Helena

É com muita simpatia a V. Excelência que tentarei descrever como eu, um simples cidadão, se sente diante de tantos acontecimentos que tomaram conta do nosso país nestes últimos meses.

Talvez a minha visão não consiga atingir a dimensão real das coisas, mas de qualquer forma produz em meu coração uma série de questionamentos: Quando é que teremos um governante que conheça realmente este grande país (Brasil) e o coloque no devido lugar que ele merece? Temos todas as condições de que um país precisa para desenvolver; extensão territorial, clima, relevos, rios, temperatura, luminosidade, potencial turístico invejável, capacidade de aprender, tecnologias. Um povo solidário, humano, trabalhador; pouco instruído é verdade, mas por conta de interesses políticos (Política) para serem usados como massa de manobra. O que pensar em desenvolver aqui, já tem por certo o sucesso, por essas e outras características inerentes a nós Brasil e brasileiros.

Sei que V. Excelência conhece e melhor do que eu o que estou tentando descrever, como é possível o tempo passar e nada nessa direção é feita com o valor devido? A classe produtora rural sofre com as benesses federais às instituições financeiras (Bancos); Como pode perder o patrimônio que custou vidas para se conseguir, por conta de um financiamento para se produzir e se perdeu por falta de uma política agrícola justa? Como evitar que nossos filhos vão embora para outros países, serem escravos, para fazê-los desenvolverem enquanto ficamos no atraso? Como é possível dependermos tanto de fora se somos alto suficientes em quase tudo? Será que acontecerá conosco o que aconteceu com o Iraque, por motivos mentirosos invadiram-no e promoveram o caos que lá está instalado? As nossas "armas de destruição em massa" será a água? E quando nossa saúde não mais estará doente? E quanto à segurança? Que lástima! Parece que a máxima de que "o crime não compensa" está invertida. A justiça tem favorecido ao infrator e as vítimas são condenadas a ficarem cegas, surdas e mudas e se enjaularem em suas casas. Essas são apenas algumas de muitas questões nesse campo Excelência.

Temos acompanhado o desenrolar das apurações de mais esse escândalo nesse governo que tanto pregou a moralidade, honestidade e ética. Felizmente o brasileiro é um povo ordeiro, em outros países por muito menos já estaríamos em guerra! Temos tanto amor por este país grande e rico, pois embora se roube dele tanto, tanto não conseguem quebrá-lo. É muito triste o que presenciamos, pois estão violando não somente nosso desenvolvimento, mas também nossa consciência, esperança e sonhos. A nossa preocupação é que tudo acabe mais uma vez em nada! Fazer esse estardalhaço todo prá não dar em nada! Aí volto a lembrar que o infrator goza das benesses da justiça e seus comparsas.

Parece ao menos que dessa vez a punição virá! Mesmo que não seja na CPMI (Congresso Nacional), mas do povo, nas urnas na próxima eleição; é uma pena que demore tanto o único recurso que temos de nos manifestar, já que nossos representantes se esquecem de nós depois de eleitos. O que colabora e muito com os maus representantes é que não aprendemos ainda o valor que tem o nosso voto!

O povo tem acompanhado sim Excelência, e até tarde. Estamos evoluindo, ao menos no interesse em conhecer melhor quem é quem por aí. Podem até enganar à muitos, mas verão crescer o número dos que se mostrarão descontentes com os falsos, ordinários, dissimulados que por aí estão.

Como disse no início tenho uma grande simpatia por V. Excelência, pela postura com que tem se mantido a ponto de romper com o partido que defendia a bandeira de seus ideais, foi preciso muita coragem e honradez prá tomar essa decisão, visto que era aparentemente mais cômodo continuar onde estava. Mas Deus a iluminou e tem comprovado agora que estava certa ao ficar de fora da quadrilha.

Que Deus continue lhe abençoando, dando forças e sabedoria nesta árdua jornada de brigar pelo povo brasileiro que é uma ovelha ante essa matilha.

Atenciosamente,

Edivaldo de Souza Brito Júnior (BRASILEIRO)

Teixeira de Freitas BA, 2005