Sobre Desvio de Muito Dinheiro

Apenas repassando, não que isto vá influenciar em nada na sua consciência, só para tomar conhecimento do que ocorre fora das nossas quatro paredes, as quais consomem de nós tempo, suor, lágrimas, dinheiro, sono, desespero e muitas vezes a privação de não estarmos na companhia de nossos filhos e conjuges o tanto que desejamos. Nós nesse perengue todo cá e eles lá fazendo gato e sapato com o dinheiro alheio e ainda posam de salvadores da pátria e não estão nem aí para o que pensamos e passamos, estão c...... e andando prá todos nós.
O pior de tudo é que sabemos disso e não queremos tomar conhecimento, vemos e não queremos enxergar! Preferimos ficar sentados na praça dando milho aos pombos.

Júnior Brito
(esbjr@hotmail.com)

.

.

.

COMO DESVIAR UM BILHÃO DE REAIS !



Minha atividade profissional nos últimos 20 anos permitiu-me certo ponto de vista privilegiado.

Sou auditor e consultor de órgãos públicos.
Vou contar uma história real e bem recente: COMO DESVIAR UM BILHÃO DE REAIS SEM SER PEGO.
Em 2004 um amigo meu era Diretor Financeiro de um Fundo de Pensão de uma empresa estatal.

Certo dia recebeu uma “ordem” do Ministério da Casa Civil no sentido de que aquele Fundo deveria vender um bilhão de reais de títulos da dívida pública, de sua carteira, a uma determinada corretora de valores.

Meu amigo achou um absurdo e foi contra.

Na reunião do conselho de administração, por 6 votos a 5, não foi autorizada a venda dos títulos.

Trinta dias depois meu amigo foi demitido.
Acontece que o fundo de pensão do Banco do Brasil – Previ, vendeu 5 bilhões de reais de sua carteira de títulos da dívida pública.

Como esses títulos eram resgatáveis para 15 a 20 anos houve um deságio de 30%, portanto a Previ recebeu 3,5 bilhões de reais pelos títulos, que, como já disse, tinham e foram vendidos especificamente para uma determinada corretora de valores.
Alguns dias depois o Governo Federal, através do Ministério da Fazenda – Tesouro Nacional, recomprou esses títulos daquela determinada corretora, com deságio de 10%.

Assim essa determinada corretora que na verdade tinha endereço num Flat Service na Barra da Tijuca, lucrou 20% dos 5 bilhões de reais, ou seja, UM BILHÃO DE REAIS.
Essa história foi relatada por esse amigo na CPI dos Correios.

Tentou-se abrir uma CPI dos Fundos de Pensão, mas não conseguiram assinaturas suficientes.
Portanto colegas, não percamos tempo em discutir ideologias, em criticar o Decreto dos Direitos Humanos, as imbecilidades do Lula, etc, tudo isso são efeitos pirotécnicos dos PeTralhas para desviar as atenções e assim continuarem a engordar suas contas na Suíça, paraísos fiscais e Cuba.
Em uma única (e rápida) “jogada” surrupiaram um bilhão de reais.

Os PeTralhas não são amadores.

Coitado do Maluf. Perto dos PeTralhas o Maluf é caso de juizado de pequenas causas.
O que mais lamento é que os PeTralhas deram asas ao delírio debilóide do “Ministro das Relações Exteriores” de conquistar para o Brasil um assento permanente no Conselho de Segurança da ONU, como se para nós, brasileiros, fizesse alguma diferença.

Com isso e por isso, o Brasil chefia a missão de paz da ONU no Haiti, o que custou a vida de colegas, em especial do nosso querido Tenente Coronel Cysneiros.
Essa turma, prezados colegas, o tal “núcleo duro” dos PeTralhas entrou no governo para se locupletar ao máximo.

Usam e abusam dos chamados inocentes úteis, de factóides, das asnices do Lula, de 150.000 nomeações em cargos de comissão, dos bilhões de reais em propagandas que pagam para a imprensa brasileira, enfim, fazem e manipulam grande parte da sociedade brasileira.
Como, apesar de tudo, ainda acredito na democracia, em todos os ambientes em que vou, mesmo que haja apenas uma pessoa, faço meu papel de cidadão, que ama esse país e argumento, esclareço e mostro quem são os PeTralhas.

Essa atividade estou intensificando com a proximidade das eleições.

Cada pessoa que convenço é um voto a menos para os PeTralhas.

Isso é o meu maior estímulo!!!

Por favor, vote consciente, para o bem de todos nós!
Abraços,

Arnaldo, associado da PREVI